domingo, 27 de outubro de 2013

Esmola e caridade

Usam de muitas desculpas muitos de não poderem ser caridosos, alegando precariedade de bens, como se a caridade se reduzisse a dar de comer aos famintos, dar de beber aos sedentos, vestir os nus e proporcionar um teto aos desabrigados. Além dessa caridade, de ordem material, outra existe - a moral, que não implica o gasto de um centavo sequer e, não obstante, é a mais difícil de ser praticada. Exemplos? Eis alguns: Seríamos caridosos se, fazendo bom uso de nossas forças mentais, vibrássemos ou orássemos diariamente em favor de quantos saibamos acharem-se enfermos, tristes ou oprimidos, sem excluir aqueles que porventura se considerem nossos inimigos. Seríamos caridosos se, em determinadas situações, nos fizéssemos intencionalmente cegos para não vermos o sorriso desdenhoso ou o gesto disprezivo de quem se julgue superior a nós. Seríamos caridosos se, com sacrifício de nosso valioso tempo, fôssemos capazes de ouvir, sem enfado, o infeliz que nos deseja confiar seus problemas íntimos, embora sabendo de antemão nada podermos fazer por ele, senão dirigir-lhe algumas palavras de carinho e solidariedade. Seríamos caridosos se, ao revés, soubéssemos fazer-nos momentâneamente surdos quando alguém, habituado a escarnecer de tudo e de todos, nos atingisse com expressões irônicas ou zombeteiras. Seríamos caridosos se, disciplinando nossa língua, só nos referíssemos ao que existe de bom nos seres e nas coisas, jamais passando adiante notícias que, mesmo sendo verdadeiras, só sirvam para conspurcar a honra ou abalar a reputação alheia. Seríamos caridosos se, embora as circunstâncias a tal nos induzissem, não suspeitássemos mal de nossos semelhantes, abstendo-nos de expender qualquer juízo apressado e temerário contra eles, mesmo entre os familiares. Seríamos caridosos se, percebendo em nosso irmão um intento maligno, o aconselhassemos a tempo, mostrando-lhe o erro e despersuadindo o de o levar a efeito. Seríamos caridosos se, privando-nos, de vez em quando, do prazer de um programa radiofônico ou de T.V. de nosso agrado, visitássemos pessoalmente aqueles que, em leitos hospitalares ou de sua residência, curtem prolongada doença e anseiam por um pouco de atenção e afeto. Seríamos caridosos se, embora essa atitude pudesse prejudicar nosso interesse pessoal, tomássemos, sempre, a defesa do fraco e do pobre, contra a prepotência do forte e a usura do rico. Seríamos caridosos se, mantendo permanentemente uma norma de proceder sereno e otimista, procurássemos criar em torno de nós uma atmosfera de paz, tranquilidade e bom humor. Seríamos caridosos se, vez por outra, endereçássemos uma palavra de aplauso e de estimulo às boas causas e não procurássemos, ao contrário, matar a fé e o entusiasmo daqueles que nelas se acham empenhados. Seríamos caridosos se deixássemos de postular qualquer benefício ou vantagem, desde que verificássemos haver outros direitos mais legítimos a serem atendidos em primeiro lugar. Seríamos caridosos se, vendo triunfar aqueles cujos méritos sejam inferiores aos nossos, não os invejássemos e nem lhes desejássemos mal. Seríamos caridosos se não desdenhássemos nem evitássemos os de má vida, se não temêssemos os salpicos de lama que os cobrem e lhes estendêssemos a nossa mão amiga, ajudando-os a levantar-se e limpar-se. Seríamos caridosos se, possuindo alguma parcela de poder, não nos deixássemos tomar pela soberba, tratando, os pequeninos de condição, sempre com doçura e urbanidade, ou, em situação inversa, soubéssemos tolerar, sem ódio, as impertinências daqueles que ocupam melhores postos na paisagem social. Seríamos caridosos se, por sermos mais inteligentes, não nos irritássemos com a inépcia daqueles que nos cercam ou nos servem. Seríamos caridosos se não guardássemos ressentimento daqueles que nos ofenderam ou prejudicaram, que feriram o nosso orgulho ou roubaram a nossa felicidade, perdoando-lhes de coração. Seríamos caridosos se reservássemos nosso rigor apenas para nós mesmos, sendo pacientes e tolerantes com as fraquezas e imperfeições daqueles com os quais convivemos, no lar, na oficina de trabalho ou na sociedade. E assim, dezenas ou centenas de outras circunstâncias poderiam ainda ser lembradas, em que, uma amizade sincera, um gesto fraterno ou uma simples demonstração de simpatia, seriam expressões inequívocas da maior de todas as virtudes. Nós, porém, quase não nos apercebemos dessas oportunidades que se nos apresentam, a todo instante, para fazermos a caridade. Porquê? É porque esse tipo de caridade não transpõe as fronteiras de nosso mundo interior, não transparece, não chama a atenção, nem provoca glorificações. Nós traímos, empregamos a violência, tratamos ou outros com leviandade, desconfiamos, fazemos comentários de má fé, compartilhamos do erro e da fraude, mostramo-nos intolerantes, alimentamos ódios, praticamos vinganças, fomentamos intrigas, espalhamos inquietações, desencorajamos iniciativas nobres, regozijamo-nos com a impostura, prejudicamos interesses alheios, exploramos os nossos semelhantes, tiranizamos subalternos e familiares, desperdiçamos fortunas no vício e no luxo, transgredimos, enfim, todos os preceitos da Caridade, e, quando cedemos algumas migalhas do que nos sobra ou prestamos algum serviço, raras vezes agimos sob a inspiração do amor ao próximo, via de regra fazemo-lo por mera ostentação, ou por amor a nós mesmos, isto é, tendo em mira o recebimento de recompensas celestiais. Quão longe estamos de possuir a verdadeira caridade! Somos, ainda, demasiadamente egoístas e miseravelmente desprovidas de espírito de renúncia para praticá-la. Mister se faz, porém, que a exercitemos, que aprendamos a dar ou sacrificar algo de nós mesmos em benefício de nossos semelhantes, porque "a caridade é o cumprimento da Lei."

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Felicidade

A princípio, bastaria ter saúde, dinheiro e amor, o que já é um pacote louvável, mas nossos desejos são ainda mais complexos. Não basta que a gente esteja sem febre: queremos, além de saúde, ser magérrimos, sarados, irresistíveis. Dinheiro? Não basta termos para pagar o aluguel, a comida e o cinema: queremos a piscina olímpica e uma temporada num spa cinco estrelas. E quanto ao amor? Ah, o amor... Não basta termos alguém com quem podemos conversar, dividir uma pizza e fazer sexo de vez em quando. Isso é pensar pequeno: queremos AMOR, todinho maiúsculo. Queremos estar visceralmente apaixonados, queremos ser surpreendidos por declarações e presentes inesperados, queremos jantar à luz de velas de segunda a domingo, queremos sexo selvagem e diário, queremos ser felizes assim e não de outro jeito. É o que dá ver tanta televisão. Simplesmente esquecemos de tentar ser felizes de uma forma mais realista. Ter um parceiro constante, pode ou não, ser sinônimo de felicidade. Você pode ser feliz solteiro, feliz com uns romances ocasionais, feliz com um parceiro, feliz sem nenhum. Não existe amor minúsculo, principalmente quando se trata de amor-próprio. Dinheiro é uma benção. Quem tem, precisa aproveitá-lo, gastá-lo, usufruí-lo. Não perder tempo juntando, juntando, juntando. Apenas o suficiente para se sentir seguro, mas não aprisionado.E se a gente tem pouco, é com este pouco que vai tentar segurar a onda, buscando coisas que saiam de graça, como um pouco de humor, um pouco de fé e um pouco de criatividade. Ser feliz de uma forma realista é fazer o possível e aceitar o improvável. Fazer exercícios sem almejar passarelas, trabalhar sem almejar o estrelato, amar sem almejar o eterno. Olhe para o relógio: hora de acordar. É importante pensar-se ao extremo, buscar lá dentro o que nos mobiliza, instiga e conduz, mas sem exigir-se desumanamente. A vida não é um jogo onde só quem testa seus limites é que leva o prêmio. Não sejamos vítimas ingênuas desta tal competitividade. Se a meta está alta demais, reduza-a. Se você não está de acordo com as regras, demita-se. Invente seu próprio jogo. Faça o que for necessário para ser feliz. Mas não se esqueça de que a felicidade é um sentimento simples, você pode encontrá-la e deixá-la ir embora por não perceber sua simplicidade. Ela transmite paz e não sentimentos fortes, que nos atormenta e provoca inquietude no nosso coração. Isso pode ser alegria, paixão, entusiasmo, mas não felicidade... Mário Quintana

sábado, 4 de fevereiro de 2012

Desejo aos meus afetos e desafetos tambem...


Desejo, primeiro, que você ame,e que, amando, também seja amado.E que se não for, seja breve em esquecer e esquecendo não guarde mágoa.Desejo, pois, que não seja assim, mas se for, saiba ser sem desesperar.
Desejo também que você tenha amigos que, mesmo maus e inconseqüentes,sejam corajosos e fiéis,e que pelo menos em um deles você possa confiar sem duvidar.
E porque a vida é assim,desejo ainda que você tenha inimigos,nem muitos, nem poucos,mas na medida exata para que, algumas vezes, você se interpele a respeito de suas próprias certezas.
E que, entre eles, haja pelo menos um que seja justo, para que você não se sinta demasiado seguro. Desejo, depois, que você seja útil,mas não insubstituível.
E que nos maus momentos,quando não restar mais nada, essa utilidade seja suficiente para manter você de pé.
Desejo ainda que você seja tolerante,não com os que erram pouco, porque isso é fácil, mas com os que erram muito e irremediavelmente,e que fazendo bom uso dessa tolerância, você sirva de exemplo aos outros.
Desejo que você, sendo jovem, não amadureça depressa demais,e que, sendo maduro, não insista em rejuvenescer,e que, sendo velho, não se dedique ao desespero.
Porque cada idade tem o seu prazer e a sua dor e é preciso deixar que eles escorram por entre nós.
Desejo por sinal que você seja triste, não o ano todo, mas apenas um dia.
Mas que nesse dia descubra que o riso diário é bom, o riso habitual é insosso e o riso constante é insano.
Desejo que você descubra,com a máxima urgência,acima e a despeito de tudo, que existem oprimidos, injustiçados e infelizes, e que estão à sua volta.
Desejo ainda que você afague um gato,alimente um cuco e ouça o joão-de-barro erguer triunfante o seu canto matinal, porque, assim, você se sentirá bem por nada. Desejo também que você plante uma semente, por mais minúscula que seja,e acompanhe o seu crescimento, para que você saiba de quantas muitas vidas é feita uma árvore.
Desejo, outros sim, que você tenha dinheiro, porque é preciso ser prático. E que pelo menos uma vez por ano coloque um pouco dele na sua frente e diga "isso é meu", só para que fique bem claro quem é o dono de quem. Desejo também que nenhum de seus afetos morra, por ele e por você, mas que se morrer, você possa chorar sem se lamentar, sofrer e sem se culpar.
Desejo por fim que você, sendo um homem, tenha uma boa mulher, e que, sendo uma mulher,tenha um bom homem e que se amem hoje, amanhã e no dia seguinte,e quando estiverem exaustos e sorridentes, ainda haja amor para recomeçar. E se tudo isso acontecer, não tenho mais a te desejar.”
Victor Hugo

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

O sábio velho índio e o jovem neto



CERTO DIA UM VELHO INDIO,SENTA-SE A BEIRA DO
FOGO E FICA A OBSERVAR...
SEU JOVEM NETO(GUERREIRO)SENTA-SE AO SEU LADO...
O VELHO INDIO OBSERVANDO AQUELE JOVEM DIZ :
DENTRO DE CADA SER HUMANO EXISTEM DOIS LOBOS
QUE LUTAM ENTRE SI CONSTANTEMENTE...
UM REPRESENTA O BEM ...
O OUTRO REPRESENTA O MAL...
O JOVEM, OBSERVANDO A FOGUEIRA DIZ:
SE LUTAM QUEM VENCE?
O LOBO DO BEM OU O LOBO DO MAL?
O VELHO OLHA DENTRO DOS OLHOS DO
NETO E DIZ:

AQUELE QUE VOCÊ ALIMENTA !

O MESTRE E O ESCORPIÃO




Um mestre oriental
que viu que um escorpião estava se af...ogando decidiu
tirá-lo da água, mas quando o fez o escorpião o picou.
Pela reação de dor, o mestre o soltou e o animal caiu de novo na água e
estava se afogando de novo.
O mestre tentou tirá-lo novamente e novamente o animal o picou.
Alguém que estava observando se aproximou do mestre e lhe disse:
"Desculpe-me mas
você é teimoso !
Não entende que todas as vezes que tentar tirá-lo da água ele irá picá-lo?"
O mestre respondeu:
"A natureza do escorpião é picar, e isto não vai mudar a minha, que é
ajudar".
Então, com a ajuda de uma folha o mestre tirou o escorpião da água e salvou
sua vida.
Não mude sua natureza se alguém te faz algum mal; apenas tome precauções.
Alguns perseguem a felicidade, outros a criam.
"Quando a vida te apresentar mil razões para chorar, mostre-lhe que tens mil e uma razões pelas quais sorrir."
Pense Nisso !!!

O escorpião e o sapo


Uma parábola africana:

O Sapo e o Escorpião


... Certa vez, um escorpião aproximou-se de um sapo que estava na beira de um rio.
O escorpião vinha fazer um pedido:

"Sapinho, você poderia me carregar até a outra margem deste rio tão largo?"

O sapo respondeu: "Só se eu fosse tolo! Você vai me picar, eu vou ficar paralizado e vou afundar."
Disse o escorpião: "Isso é ridículo! Se eu o picasse, ambos afundaríamos."
Confiando na lógica do escorpião, o sapo concordou e levou o escorpião nas costas, enquanto nadava para atravessar o rio.
No meio do rio, o escorpião cravou seu ferrão no sapo.
Atingido pelo veneno, e já começando a afundar, o sapo voltou-se para o escorpião e perguntou: "Por quê? Por quê?"
E o escorpião respondeu: "Por que sou um escorpião e essa é a minha natureza."

A auto-piedade da ave


Havia uma vez uma ave com plumagem cintilante e asas robustas que passava os dias planando sobre as árvores, deliciando-se com sua liberdade.

Um dia ela caiu num poço desativado. O poço era escuro e profundo, mas estava seco e a ave não se machucou. Ela foi esvoaçando para baixo até atingir o fundo e lá permaneceu, nada fazendo para tentar escapar, mergulhada em autocomiseração.

Certamente morrerei aqui em baixo, lamentou-se. Que pobre ave desgraçada em sou. O que fiz para merecer esse fim?

Quanto mais ela refletia sobre o seu suplício, mais se convencia de que alguém, que não ela, era culpado por ela estar no fundo do poço.

Não é culpa minha. É culpa do idiota que inventou de cavar esse poço, disse. Alguém deveria ter coberto a superfície, assim eu não teria caído aqui dentro. Porque ninguém me avisou do perigo de voar baixo demais perto de poços abertos? Nada disso é culpa minha.

E se pôs a pedir socorro aos passantes. Socorro! Socorro! Por favor me ajudem. Por favor, tirem-me daqui.

As pessoas olhavam para dentro do poço. Você tem asas, você pode voar, diziam. Por que você não se ajuda?

Se eu tentar voar aqui posso me machucar, lamuriava ela. As paredes do poço vão arranhar minhas asas. Não tenho culpa de estar presa aqui. Vocês têm de fazer algo para me tirar daqui.

As pessoas respondiam, Há muito espaço para você voar, se você tomar cuidado. Suas asas estão em forma. Você não se feriu. Você pode sair daí se realmente quiser.

A ave recusava-se a tentar. Ficou encolhida no fundo do poço, lamentando-se, gemendo alto para que todos ouvissem.

Ninguém liga para mim, esse é o problema. As pessoas são cruéis, não têm coração, ninguém quer saber de ajudar uma pobre criatura como eu.

As reclamações da ave atraíram tanta compaixão que, sem dar conta, ela começou a gostar de morar no poço. Cada vez menos pensava em escapar, até que nem mais lhe passava pela cabeça tentar. Suas asas atrofiaram de forma que, mesmo se quisesse, não podia mais voar e reconquistar a liberdade. Nem ela nem ninguém mais poderia ajuda-la.

E assim, alvo de pena de todos e de si própria, a ave viveu o resto da vida presa e infeliz no fundo do poço.

O desejo de ser alvo de compaixão e de ser o centro das atenções pode aleijar-nos e impedir-nos de realizar todo o nosso potencial.

domingo, 15 de janeiro de 2012

Reverência ao Destino/Carlos Drummond de Andrade


Falar é completamente fácil, quando se tem palavras em mente que expressem sua opinião.
Difícil é expressar por gestos e atitudes o que realmente queremos dizer, o quanto queremos dizer, antes que a pessoa se vá.


Fácil é julgar pessoas que estão sendo expostas pelas circunstâncias.
Difícil é encontrar e refletir sobre os seus erros, ou tentar fazer diferente algo que já fez muito errado.


Fácil é ser colega, fazer companhia a alguém, dizer o que ele deseja ouvir.
Difícil é ser amigo para todas as horas e dizer sempre a verdade quando for preciso.
E com confiança no que diz.


Fácil é analisar a situação alheia e poder aconselhar sobre esta situação.
Difícil é vivenciar esta situação e saber o que fazer ou ter coragem pra fazer.


Fácil é demonstrar raiva e impaciência quando algo o deixa irritado.
Difícil é expressar o seu amor a alguém que realmente te conhece, te respeita e te entende.


E é assim que perdemos pessoas especiais.
Fácil é mentir aos quatro ventos o que tentamos camuflar.
Difícil é mentir para o nosso coração.


Fácil é ver o que queremos enxergar.
Difícil é saber que nos iludimos com o que achávamos ter visto.
Admitir que nos deixamos levar, mais uma vez, isso é difícil.


Fácil é dizer "oi" ou "como vai?"
Difícil é dizer "adeus", principalmente quando somos culpados pela partida de alguém de nossas vidas.


Fácil é abraçar, apertar as mãos, beijar de olhos fechados.
Difícil é sentir a energia que é transmitida.
Aquela que toma conta do corpo como uma corrente elétrica quando tocamos a pessoa certa.


Fácil é querer ser amado.
Difícil é amar completamente só.


Amar de verdade, sem ter medo de viver, sem ter medo do depois. Amar e se entregar, e aprender a dar valor somente a quem te ama.


Fácil é ouvir a música que toca.
Difícil é ouvir a sua consciência, acenando o tempo todo, mostrando nossas escolhas erradas.


Fácil é ditar regras.
Difícil é seguí-las.


Ter a noção exata de nossas próprias vidas, ao invés de ter noção das vidas dos outros.


Fácil é perguntar o que deseja saber.
Difícil é estar preparado para escutar esta resposta ou querer entender a resposta.


Fácil é chorar ou sorrir quando der vontade.
Difícil é sorrir com vontade de chorar ou chorar de rir, de alegria.


Fácil é dar um beijo.
Difícil é entregar a alma, sinceramente, por inteiro.


Fácil é sair com várias pessoas ao longo da vida.
Difícil é entender que pouquíssimas delas vão te aceitar como você é e te fazer feliz por inteiro.


Fácil é ocupar um lugar na caderneta telefônica.
Difícil é ocupar o coração de alguém, saber que se é realmente amado.


Fácil é sonhar todas as noites.
Difícil é lutar por um sonho.


Eterno, é tudo aquilo que dura uma fração de segundo, mas com tamanha intensidade, que se petrifica, e nenhuma força jamais o resgata.

VALOR...

Será que damos “valor” às pessoas que nos rodeiam? Quanto valem os nossos amigos? Qual o “preço” duma amizade? Qual a valia de um familiar?
Somos pequenos “pedaços de madeira” perdidos neste “mar” a que chamamos sociedade, pedaços de madeira como aqueles que podem ser apanhados por qualquer pessoa numa praia, atirados, mal tratados, espezinhados, mas que também podem ser acarinhados, bem tratados, limados e polidos pelas mãos de quem soube dar “valor” e vê a beleza e o potencial que está por detrás desse pedaço de madeira…
Gosto de me ver como um “pedaço de madeira” que é o resultado de tudo o que já passou e vai passando, algumas mossas, muitos golpes e feridas, mazelas q.b., mas também limado, concertado, polido e até mesmo transformado numa bela caixa que apesar de ter algumas arestas, defeitos, falhas por limar e algumas imperfeições, guarda muito “valor” lá dentro.
A muitas pessoas falta valor, não parecem ter qualidade alguma nem utilidade, não se lhes vê alguma mais valia, mérito ou préstimo, no entanto, acredito que essas pessoas servem para darmos valor a outras. Quantos de nós não demos valor a alguém por termos sido maltratados ou ignorados por outra pessoa? Quantos não se arrependeram da forma como tratámos alguém quando sentimos na pele o mesmo trato? Quantos de nós não seremos no nosso dia-a-dia pessoas sem “valor”???
Muitas pessoas não se apercebem que rebaixam quem está à sua volta apenas para terem as pessoas que as rodeiam ao seu nível, em vez de tentarem ser melhores pessoas, em vez de fazerem algo por si e pelos outros.
Apesar do nosso valor estar na importância que temos para as pessoas que nos rodeiam, está também e principalmente na nossa própria valorização, no nosso mérito, nas nossas virtudes, na capacidade de tentarmos e querermos ser melhores.


Somos melhores quando nos superamos a nós próprios, não quando superamos os outros.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

FRASES PARA REFLEXÃO DE AUTO-AJUDA... TEMA: O AMOR PRÓPRIO.






BORBOLETAS

Quando depositamos muita confiança ou expectativas em uma pessoa, o risco de
se decepcionar é grande.

As pessoas não estão neste mundo para satisfazer as nossas expectativas, assim como não estamos aqui, para satisfazer as dela.

Temos que nos bastar... nos bastar sempre e quando procuramos estar com alguém, temos que nos conscientizar de que estamos juntos porque gostamos, porque queremos e nos sentimos bem, nunca por precisar de alguém.

As pessoas não se precisam, elas se completam... não por serem metades, mas por serem inteiras, dispostas a dividir objetivos comuns, alegrias e vida.

Com o tempo, você vai percebendo que para ser feliz com a outra pessoa, você precisa em primeiro lugar, não precisar dela. Percebe também que aquela pessoa que você ama (ou acha que ama) e que não quer nada com você, definitivamente, não é o homem ou a mulher de sua vida.

Você aprende a gostar de você, a cuidar de você, e principalmente a gostar de quem gosta de você.

O segredo é não cuidar das borboletas e sim cuidar do jardim para que elas venham até você.

No final das contas, você vai achar
não quem você estava procurando, mas quem estava procurando por você!
Mário Quintana



Viver uma verdadeira experiência amorosa é um dos maiores prazeres da vida. Gostar é sentir com a alma, mas expressar os sentimentos depende das idéias de cada um. Condicionamos o amor às nossas necessidades neuróticas e acabamos com ele. Vivemos uma vida tentando fazer com que os outros se responsabilizem pelas nossas necessidades enquanto nós nos abandonamos irresponsavelmente.

Queremos ser amados e não nos amamos, queremos ser compreendidos e não nos compreendemos, queremos o apoio dos outros e damos o nosso a eles. Quando nos abandonamos, queremos achar alguém que venha a preencher o buraco que nós cavamos. A insatisfação, o vazio interior se transformam na busca contínua de novos relacionamentos, cujos resultados frustrantes se repetirão.

Cada um é o único responsável pelas suas próprias necessidades. Só quem se ama pode encontrar em sua vida Um Amor de Verdade
Zíbia Gaspareto

Chorar não resolve, falar pouco é uma virtude, aprender a se colocar em primeiro lugar não é egoísmo, e o que não mata com certeza fortalece. Às vezes mudar é preciso, nem tudo vai ser como você quer, a vida continua. Pra qualquer escolha se segue alguma conseqüência, vontades efêmeras não valem a pena, quem faz uma vez não faz duas necessariamente, mas quem faz dez, com certeza faz onze.
Perdoar é nobre, esquecer é quase impossível. Nem todo mundo é tão legal assim, e de perto ninguém é normal. Quem te merece não te faz chorar, quem gosta cuida, o que está no passado tem motivos para não fazer parte do seu presente, não é preciso perder pra aprender a dar valor e os amigos ainda se contam nos dedos.
Aos poucos você percebe o que vale a pena, o que se deve guardar pro resto da vida, e o que nunca deveria ter entrado nela. Não tem como esconder a verdade, nem tem como enterrar o passado, o tempo sempre vai ser o melhor remédio, mas seus resultados nem sempre são imediatos.
Não fique preocupado, você nunca sabe quem está se apaixonando pelo seu sorriso.
Charles Chaplin

Hoje levantei cedo pensando no que tenho a fazer antes que o relógio marque meia noite. É minha função escolher que tipo de dia vou ter hoje. Posso reclamar porque está chovendo ou agradecer às águas por lavarem a poluição. Posso ficar triste por não ter dinheiro ou me sentir encorajado para administrar minhas finanças, evitando o desperdício. Posso reclamar sobre minha saúde ou dar graças por estar vivo.
Posso me queixar dos meus pais por não terem me dado tudo o que eu queria ou posso ser grato por ter nascido. Posso reclamar por ter que ir trabalhar ou agradecer por ter trabalho. Posso sentir tédio com o trabalho doméstico ou agradecer a Deus. Posso lamentar decepções com amigos ou me entusiasmar com a possibilidade de fazer novas amizades. Se as coisas não saíram como planejei posso ficar feliz por ter hoje para recomeçar. O dia está na minha frente esperando para ser o que eu quiser. E aqui estou eu, o escultor que pode dar forma. Tudo depende só de mim."
Charles Chaplin

Todos nós desejamos ajudar uns aos outros. Os seres humanos são assim. Desejamos viver para a felicidade do próximo - não para o seu infortúnio. Por que havemos de odiar e desprezar uns aos outros? Neste mundo há espaço para todos. A terra, que é boa e rica, pode prover a todas as nossas necessidades.
O caminho da vida pode ser o da liberdade e da beleza, porém nos extraviamos. A cobiça envenenou a alma dos homens, levantou no mundo as muralhas do ódio e tem-nos feito marchar a passo de ganso para a miséria e os morticínios. Criamos a época da velocidade, mas nos sentimos enclausurados dentro dela. A máquina, que produz abundância, tem-nos deixado em penúria. Nossos conhecimentos fizeram-nos céticos; nossa inteligência, empedernidos e cruéis. Pensamos em demasia e sentimos bem pouco. Mais do que de máquinas, precisamos de humanidade. Mais do que de inteligência, precisamos de afeição e doçura. Sem essas virtudes, a vida será de violência e tudo será perdido.
A aviação e o rádio nos aproximou. A própria natureza dessas coisas é um apelo eloqüente à bondade do homem, um apelo à fraternidade universal, a união de todos nós. Neste mesmo instante a minha voz chega a milhares de pessoas pelo mundo afora. Milhões de desesperados: homens, mulheres, criancinhas, vítimas de um sistema que tortura seres humanos e encarcera inocentes. Aos que podem me ouvir eu digo: não desespereis! A desgraça que tem caído sobre nós não é mais do que o produto da cobiça em agonia, da amargura de homens que temem o avanço do progresso humano. Os homens que odeiam desaparecerão, os ditadores sucumbem e o poder que do povo arrebataram há de retornar ao povo. Sei que os homens morrem, mas a liberdade não perecerá jamais.
Charles Chaplin

A vida me ensinou...
A dizer adeus às pessoas que amo, sem tirá-las do meu coração;
Sorrir às pessoas que não gostam de mim,
Para mostrá-las que sou diferente do que elas pensam;
Fazer de conta que tudo está bem quando isso não é verdade, para que eu possa acreditar que tudo vai mudar;
Calar-me para ouvir; aprender com meus erros.
Afinal eu posso ser sempre melhor.
A lutar contra as injustiças; sorrir quando o que mais desejo é gritar todas as minhas dores para o mundo.
A ser forte quando os que amo estão com problemas;
Ser carinhoso com todos que precisam do meu carinho;
Ouvir a todos que só precisam desabafar;
Amar aos que me machucam ou querem fazer de mim depósito de suas frustrações e desafetos;
Perdoar incondicionalmente, pois já precisei desse perdão;
Amar incondicionalmente, pois também preciso desse amor;
A alegrar a quem precisa;
A pedir perdão;
A sonhar acordado;
A acordar para a realidade (sempre que fosse necessário);
A aproveitar cada instante de felicidade;
A chorar de saudade sem vergonha de demonstrar;
Me ensinou a ter olhos para "ver e ouvir estrelas",
embora nem sempre consiga entendê-las;
A ver o encanto do pôr-do-sol;
A sentir a dor do adeus e do que se acaba, sempre lutando para preservar tudo o que é importante para a felicidade do meu ser;
A abrir minhas janelas para o amor;
A não temer o futuro;
Me ensinou e está me ensinando a aproveitar o presente,
como um presente que da vida recebi, e usá-lo como um diamante que eu mesmo tenha que lapidar, lhe dando forma da maneira que eu escolher.
Charles Chaplin

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Hercólobus


Há uma presença constante em muitas lendas e escritos antigos falando de um certo planeta ou astro que visitaria a Terra periodicamente. Os espíritas o chamam de Planeta X; o Apocalipse, de Absinto; os babilônios, de Nibiru; os gnósticos, de Hercólubus. Mas parece que o nome é Marduk, que é como os sumérios o conheciam. O aparecimento cíclico desse corpo celeste está milenarmente ligado a catástrofes e fins de civilizações.
A aproximação desse gigante dos céus poderá causar seriíssimas perturbações na Terra e em outros planetas, especialmente em Marte e Urano, segundo constam afirmações gnósticas. Daí a correlação toda com várias profecias, e isto, se ocorrer realmente, deverá ser nas próximas décadas. É claro que ele já foi detectado por diversos cientistas, e podemos ter certeza que a preocupação nos meios da Inteligência norte-americanos é enorme.
As informações que temos é que o tal planeta é muito grande, maior que Netuno, Saturno e Júpiter juntos, e tem uma órbita extremamente elíptica, com um perigeu (distância máxima do Sol) de 400 a 500 unidades astronômicas (1 ua = distância da Terra ao Sol), e um perigeu de umas 4 ou 5 ua (entre o Cinturão de Asteroides e Júpiter). Ou seja, a maior parte do tempo ele fica longe demais do Sol (daí a dificuldade de detecção). Parece que ele é dotado de uma espécie de camada tênue sobre a atmosfera, para conservar o calor, a qual está em infravermelho, fora do espectro visível, daí muitos videntes dizerem que este é um planeta de cor tipicamente avermelhada. Lembramos que apenas em 1997 é que foi encontrado o chamado décimo planeta, a uma distância de cerca de 120 ua! (Plutão dista do Sol quase 40 ua). Imagine 500!

Marduk, Planeta X, Hercólobus… Seja qual for o nome, todos referem-se ao mesmo planeta. Seria o mesmo “abominável da desolação” de Jesus, a “abominação desoladora” do profeta Daniel, a “grande estrela ardente com um facho, chamada Absinto” do Apocalipse de João, a “grande estrela”, “o grande rei do terror”, “o monstro” ou “o novo corpo celeste” de Nostradamus, o “astro intruso” ou “planeta higienizador” da entidade espiritual chamada Ramatis (que foi o primeiro a utilizar o nome “Hercólobus” na atualidade), o “planeta chupão” citado por Chico Xavier, ou o “Planeta X” procurado pelos astrônomos???

O que os diversos profetas falam:

“E a um eclipse do Sol sucederá o mais escuro e o mais tenebroso verão que jamais existiu desde a Criação até a paixão e morte de Jesus Cristo, e de lá até esse dia, e isto será no mês de outubro, quando uma grande translação se produzirá, de tal modo que julgarão a Terra fora da órbita e abismada em trevas eternas”. (Nostradamus, Carta a Henrique II )

“O Sol converter-se-á em trevas, e a Lua em sangue, ao se aproximar o grandioso e temível dia do senhor” (Livro de Joel)

“Quando o sol ficar completamente eclipsado;
O monstro será visto em pleno dia;
mas o interpretarão de outra forma.
Não serão tomados cuidados: ninguém irá prevê-lo.” (Nostradamus, cent. III, quadra 34 )

“A Terra está de todo quebrantada, ela se move totalmente com violência. A Terra cambaleia como um bêbado e balanceia como rede de dormir.” (Isaías, 24:19-21)

“E logo depois da tribulação daqueles dias, escurecer-se-á o Sol, e a Lua não dará a sua luz, e as estrelas cairão do céu, e as potestades do céu serão abaladas. E então aparecerá o sinal do Filho do Homem no céu, como o relâmpago que sai do Oriente e se mostra até o Ocidente”. (Mateus, 24:27)

“Aparecerá no céu, no norte, um grande cometa”. ( Nostradamus, Cent. II, 43)

“A Lua, devido ao novo corpo celeste, aproximar-se-á da Terra e seu disco aparecerá 11 vezes maior que o Sol, o que provocará maiores marés e inundações.” (Nostradamus, cent. IV, 30 )

O Cristo Jesus disse: “Quando virdes o abominável devastador, que foi predita pelo profeta Daniel, posta no lugar santo (firmamento?) – o que lê entenda – então os que se acham na Judéia, fujam para os montes. (Mateus 24: 15-16)

As fontes de estudo são unânimes em afirmar que dois terços da população da Terra morrerão: “Em toda a terra, diz o Senhor, dois terços dela serão eliminados, e perecerão; mas a terceira parte restará nela”. (Zacarias, 13:8)

“Farei passar a terceira parte pelo fogo, e a purificarei, como se purifica a prata, e a provarei, como se prova o ouro…” (Zacarias, 13:9)

bilhões vão morrer, mas um terço da humanidade TALVEZ sobreviverá e repovoará o planeta, e a Terra viverá em paz pelos restos de seus dias, isso se os seres humanos seguirem os ditames da harmonia espiritual.

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Ninguém é dono de ninguém...


Sempre acho que namoro, casamento, romance, tem começo, meio e fim. Como tudo na vida. Detesto quando escuto aquela conversa: - Ah, terminei o namoro... - Nossa, estavam juntos há tanto tempo... - Cinco anos.... que pena... acabou... - é... não deu certo... Claro que deu! Deu certo durante cinco anos, só que acabou. E o bom da vida, é que você pode ter vários amores. Não acredito em pessoas que se... complementam. Acredito em pessoas que se somam. Às vezes você não consegue nem dar cem por cento de você para você mesmo, como cobrar cem por cento do outro? E não temos essa coisa completa. Às vezes ela é fiel, mas é devagar na cama. Às vezes ele é carinhoso, mas não é fiel. Às vezes ele é atencioso, mas não é trabalhador. Às vezes ela é muito bonita, mas não é sensível. Tudo junto, não vamos encontrar. Perceba qual o aspecto mais importante para você e invista nele. Pele é um bicho traiçoeiro. Quando você tem pele com alguém, pode ser o papai com mamãe mais básico que é uma delícia. E às vezes você tem aquele sexo acrobata, mas que não te impressiona... Acho que o beijo é importante... e se o beijo bate... se joga... se não bate... mais um Martini, por favor... e vá dar uma volta. Se ele ou ela não te quer mais, não force a barra. O outro tem o direito de não te querer. Não brigue, não ligue, não dê pití. Se a pessoa tá com dúvidas, problema dela, cabe a você esperar... ou não. Existe gente que precisa da ausência para querer a presença. O ser humano não é absoluto. Ele titubeia, tem dúvidas e medos, mas se a pessoa REALMENTE gostar, ela volta. Nada de drama. Que graça tem alguém do seu lado sob pressão? O legal é alguém que está com você, só por você. E vice-versa. Não fique com alguém por pena. Ou por medo da solidão. Nascemos sós. Morremos sós. Nosso pensamento é nosso, não é compartilhado. E quando você acorda, a primeira impressão é sempre sua, seu olhar, seu pensamento. Tem gente que pula de um romance para o outro. Que medo é este de se ver só, na sua própria companhia? Gostar dói. Muitas vezes você vai sentir raiva, ciúmes, ódio, frustração... Faz parte. Você convive com outro ser, um outro mundo, um outro universo. E nem sempre as coisas são como você gostaria que fosse... A pior coisa é gente que tem medo de se envolver. Se alguém vier com este papo, corra, afinal você não é terapeuta. Se não quer se envolver, namore uma planta. É mais previsível. Na vida e no amor, não temos garantias. Nem toda pessoa que te convida para sair é para casar. Nem todo beijo é para romancear. E nem todo sexo bom é para descartar... ou se apaixonar... ou se culpar... Enfim...quem disse que ser adulto é fácil ????

terça-feira, 15 de novembro de 2011

A vida ensina...



A vida me ensinou...
A dizer adeus às pessoas que amo,
Sem tira-las do meu coração;
Sorrir às pessoas que não gostam de mim,
Para mostra-las que sou diferente do que elas pensam;
Fazer de conta que tudo está bem quando isso não é verdade,
Para que eu possa acreditar que tudo vai mudar;
Calar-me para ouvir;
Aprender com meus erros .
Afinal eu posso ser sempre melhor.
A lutar contra as injustiças;
Sorrir quando o que mais desejo é gritar todas as minhas dores para o mundo,
A ser forte quando os que amo estão com problemas;
Ser carinhosa com todos que precisam do meu carinho;
Ouvir a todos que só precisam desabafar;
Amar aos que me machucam ou querem fazer de mim depósito de suas frustrações e desafetos;
Perdoar incondicionalmente,
Pois já precisei desse perdão;
Amar incondicionalmente,
Pois também preciso desse amor;
A alegrar a quem precisa;
A pedir perdão;
A sonhar acordada;
A acordar para a realidade (sempre que necessário);
A aproveitar cada instante de felicidade;
A chorar de saudade sem vergonha de demonstrar;
Me ensinou a ter olhos para "ver e ouvir estrelas", embora nem sempre consiga entendê-las;
A ver o encanto do pôr-do-sol;
A sentir a dor do adeus e do que se acaba, sempre lutando para preservar tudo o que é importante para a felicidade do meu ser;
A abrir minhas janelas para o amor;
A não temer o futuro;
Me ensinou e esta me ensinando a aproveitar o presente, como um presente que da vida recebi, e usá-lo como um diamante que eu mesma tenha que lapidar, lhe dando forma da maneira que eu escolher.
(Fênix Faustine)

sábado, 12 de novembro de 2011

Fantoche


Como um fantoche eu dancei sua canção
Um tango japonês recheado de ilusão
Como uma criança fui iludido por uma bala
Este seu doce veneno que s ai de sua fala

... Suas mentiras para mim foram verdades
Como uma droga em overdose de felicidades
Mas hoje suas lagrima não me molham mais
Eu conseguir me libertar deste seu amor sagaz

Foram anos tentado te arrancar de mim
E você a creditando que nunca ia ter fim
Este seu domínio sobre as minhas ações
Que foi morto pelas flechadas das decepções...

Saulo Prado

sábado, 12 de fevereiro de 2011

o sentido da vida


O foco do homem material é a sobrevivência e a sua expressão é o instinto.

Para garantir a sobrevivência da espécie o homem foi criado essencialmente egoísta e, conseqüentemente, toda ação humana é essencialmente egoística, mas sê-lo não implica em satisfazer sempre os próprios desejos, mas em fazer o que é melhor para a pessoa face ao contexto, é o agir consciente. Por milênios o homem foi induzido a agir como se fosse altruísta e sistematicamente condenado por seu egoísmo, mas ao buscar, por princípio, o bem coletivo o homem contradiz a sua essência e isto deu causa a muitos sofrimentos. O homem deve agir de acordo com a sua essência, buscar o próprio bem, e em decorrência de sua evolução passar a prover, por interesse próprio, o interesse coletivo. Fazendo o melhor para si mesmo, o indivíduo fica mais feliz e, conseqüentemente, mais apto a ajudar o próximo. Pessoas infelizes têm pouca ou nenhuma boa vontade para com os problemas do próximo.

Na evolução do homem material está a evolução do homem como espécie.

certo e errado:

Em qualquer situação a pessoa busca sempre fazer o melhor para ela e, conseqüentemente, não existe certo ou errado, mas apenas a melhor opção para uma determinada pessoa face a um contexto específico e que, devido às suas limitações, poderá não escolhê-la. As limitações podem ser:

Internas – relacionadas às diversas facetas do homem e que podem levar a erros de avaliação;

Externas – relacionadas ao contexto externo, no qual a pessoa pode ser induzida a erro de avaliação, e a situações onde fazer o certo não esteja ao alcance da pessoa.

Para que haja otimização da qualidade das decisões é preciso que haja uma redução progressiva das limitações das pessoas, ou seja, a criação de facilidades para a evolução do indivíduo e, sempre que possível, a otimização dos contextos.

culpa, vergonha e arrependimento:

Toda ação humana é essencialmente egoística e cada indivíduo está sempre buscando fazer o melhor para ele, mas, devido às suas limitações internas e/ou externas, ele muitas vezes não toma a melhor decisão.

Por mais que o indivíduo se equivoque ao tomar uma decisão, ele o faz buscando o melhor para sí e não há porque ele sentir culpa, arrependimento ou vergonha por ter limitações, por não ser evoluído o suficiente para tomar uma decisão mais acertada. Afinal, ninguém neste mundo é perfeito.

A cultura que alimenta os sentimentos de culpa, arrependimento e vergonha é uma cultura voltada para a evolução pelo sofrimento e uma dificultadora da felicidade.

Entretanto, o fato de não haver culpa não isenta o indivíduo do dever de ressarcir a sociedade pelos danos eventualmente causados.

egoísmo e bondade:

Toda ação humana é essencialmente egoística, mas sê-lo não implica em satisfazer sempre os próprios desejos, mas em fazer o que é melhor para a pessoa face ao contexto, é o agir consciente. Uma pessoa pouco evoluída tende a não agir com bondade, mas no estágio evolutivo em que a humanidade se encontra já se alastra a percepção de que a evolução se dá na direção do amor e da doação ao próximo, que apenas a riqueza material não é suficiente para fazer alguém feliz.

Verifica-se, portanto, que com a evolução o homem tende a ter os efeitos maléficos de seu egoísmo eliminados e que egoísmo e bondade não são antagônicos. Ser egoísta é querer o melhor para si e como o melhor é obtido na prática da bondade, ser egoísta esclarecido é buscar ser bom.

Perdão:

Toda ação humana é essencialmente egoística. Em qualquer situação a pessoa busca sempre fazer o melhor para ela, mas, devido às suas limitações, muitas vezes não escolhe a melhor opção. Verifica-se, portanto, que o equívoco é consequência da essência da pessoa, que sempre busca o melhor para sí, e de suas limitações, que levam a que ela tome decisões equivocadas. Quando uma pessoa magoa a outra, ela o faz sob a ótica equivocada de que assim obterá o melhor para sí e, naturalmente, não se pode dizer que alguém é culpado por ter limitações.

Quando uma pessoa magoa a outra, ela é merecedora de pena, é carente de ajuda, de esclarecimentos. Não há que se falar em perdão se não há culpa.

homem espiritual:

O foco do homem espiritual é a perfeição espiritual e a sua expressão é a intuição.

A perfeição é uma visão (um sonho) e o caminho até ela é infinito, ou seja, sempre haverá o que evoluir, pois somente Deus é perfeito. Para o homem espiritual a missão é eterna e, portanto, a evolução acontece de forma continuada. Considerando que o mundo é perfeito e que, conseqüentemente, não existe missão impossível, conclui-se que são infinitas as existências de cada ser humano, que a cada existência há a evolução da intuição do indivíduo e que a felicidade está no caminhar rumo à perfeição.

O homem espiritual, por ter sido criado tendo como foco a perfeição, tem a percepção dos atos que a contrariam. Ele caminha sempre em direção à perfeição, mas a velocidade desta caminhada é influenciada pelas demais facetas do homem. Todos os fatos desta vida têm como utilidade lembrar a cada um a sua missão e facilitar a caminhada. Conclui-se, portanto, que o homem, embora egoísta, tem a intuição do que é melhor para ele e se sente compelido a praticar o bem.

Na evolução do homem espiritual está a evolução do homem como indivíduo.

homem material:

O foco do homem material é a sobrevivência e a sua expressão é o instinto.

Para garantir a sobrevivência da espécie o homem foi criado essencialmente egoísta e, conseqüentemente, toda ação humana é essencialmente egoística, mas sê-lo não implica em satisfazer sempre os próprios desejos, mas em fazer o que é melhor para a pessoa face ao contexto, é o agir consciente. Por milênios o homem foi induzido a agir como se fosse altruísta e sistematicamente condenado por seu egoísmo, mas ao buscar, por princípio, o bem coletivo o homem contradiz a sua essência e isto deu causa a muitos sofrimentos. O homem deve agir de acordo com a sua essência, buscar o próprio bem, e em decorrência de sua evolução passar a prover, por interesse próprio, o interesse coletivo. Fazendo o melhor para si mesmo, o indivíduo fica mais feliz e, conseqüentemente, mais apto a ajudar o próximo. Pessoas infelizes têm pouca ou nenhuma boa vontade para com os problemas do próximo.

Na evolução do homem material está a evolução do homem como espécie.

homem racional:

O seu foco é o sentido para as ações e a sua expressão é o motivo, a razão.

Embora o destino do homem seja a evolução, ele tem o livre arbítrio, o poder de decidir e influenciar a velocidade com que ela se dará. O homem racional precisa que a vida siga as regras lógicas do raciocínio. O amadurecimento do ser humano implica em harmonia entre o sentir e o saber, entre o sentir e o compreender, não se deixar levar nem por um e nem por outro, em resumo ser consciente.

O homem racional é o elo de ligação entre o homem material e o espiritual. O homem orbita entre o instinto e a intuição e, embora a evolução do homem material para o homem espiritual possa se dar pela fé, a evolução pela razão, quando se tem um sentido para a vida correto, é mais fácil e mais sólida, pois é sustentada e não está sujeita a constantes questionamentos, como a embasada apenas na fé.

Em qualquer circunstância a pessoa é o que é, mas para o homem racional ela é como se vê e, portanto, para que as decisões racionais sejam acertadas é preciso que ele aprenda a se ver e às outras pessoas.

As decisões do homem racional são baseadas na cultura dominante e nas suas verdades e caso estes não tenham um mínimo necessário de acertos não haverá condições para uma caminhada feliz.

homem emocional:

O foco do homem emocional é a felicidade e a sua expressão são as emoções e os sentimentos do ser humano.

Se ver fosse essencial o cego não teria qualquer chance, se ouvir fosse essencial o surdo não teria qualquer chance, se falar fosse essencial o mudo não teria qualquer chance, donde se conclui que apenas o Sentir é essencial para a felicidade do homem. A evolução se dá pelo amor e pelo sofrimento. Devemos buscar maximizar e amor e minimizar o sofrimento. Todo sofrimento é útil, o que não significa que deva ser buscado. Com sabedoria você pode evitar criar sofrimentos desnecessários e minimizar a intensidade daqueles inevitáveis. O sofrimento é ao mesmo tempo uma lição e um desafio natural, visto que foi apresentado pela vida, não foi uma escolha, ele carrega uma mensagem que deve ser assimilada e deve ser vencido. Instintivamente o homem busca a trilha do maior prazer (e menor sofrimento físico) e intuitivamente a da maior felicidade (e menor sofrimento emocional).

homem camaleão ou adaptável:

O foco do homem camaleão é a facilidade e a sua expressão é um personagem.

O ser humano busca naturalmente, para maior facilidade no atendimento de suas necessidades, se adaptar ao ambiente em que vive. Entretanto, quando a adaptação exigida envolve questões relacionadas à essência da pessoa ela não ocorre motivada apenas pela busca de facilidades, mas, mesmo assim, a pessoa tende a agir como se a mudança houvesse se dado, ou seja, ela tende a criar um personagem para facilitar o atendimento de suas necessidades. Há vários motivos para a criação de personagens, mas entre os principais estão a necessidade de ter aceitação ou de não ter rejeição e o desejo de aparentar ser/estar melhor/pior para o próximo. Um exemplo típico de personagem é o indivíduo apaixonado, pois nesta condição ele busca fazer tudo o que o outro espera dele, mesmo quando isto não é a expressão da própria vontade.

Quanto maior a distância entre o homem camaleão e o real maior a probabilidade de sofrimento.

Sei que quanto mais estudo o comportamento dos seres humanos, mais acredito que não passamos de um pobre animal intelectual equivocada-mente chamado de "Homem", o pior de tudo é a situação tão difícil e tão estranha em que nos encontramos: ignoramos o segredo de todas nossas tragédias e, no entanto, estamos convencido que sabemos tudo...

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Quanto mais conheço os seres humanos, mais gosto de animais.



Quanto mais o tempo passa, mais o homem se transforma em "humano DESUMANO"... E cada vez mais,esses mesmos homens,se sentem vazios,desalmados,carentes e sós...
Os cães vivem só para AMAR E PROTEGER,independente se você lhe dá muita ou pouca comida,de qualidade ou não,se você briga com ele injustamente ou com razão,se passa todo o dia com ou sem a sua companhia,se você vive numa mansão,num casebre ou debaixo de uma marquise...
UM CÃO AMA VOCÊ PELO QUE VOCE É: O SEU MAIOR AMOR !!!
Será-lhe sempre fiel independente que você tenha ou não razão!
Encostará o seu focinho no seu joelho ou no seu braço, silenciosamente, para lhe confortar nos momentos de tristeza...
Lamberá o seu rosto, angustiado, para secar as lágrimas que estiverem caindo...
Faça sol ou faça chuva, estará sempre feliz, com a calda abanando com o aproximar da hora da sua chegada em casa...
Não importa que nada lhe trouxéssemos de presente,pois para ele o que importa,É A SUA PRESENÇA!
Ver seus olhos abrindo pela manhã,é motivo de enorme alegria !
Um cão adora lhe ouvir,e se você for sensível,perceberá que ele também lhe fala,ao modo dele,mas fala,e diz àquilo que você precisa ouvir,mesmo através de um SILENCIOSO MAS GRITANTE E PROFUNDO OLHAR!!
Mesmo doente,sentindo dor,NADA LHE COBRA...seu olhar pode tornar-se mais humilde ainda,mas nada lhe cobra,e nada lhe tira!
JAMAIS LHE TRAIRÁ! JAMAIS LHE ROUBARÁ! JAMAIS LHE DEIXARÁ SÓ! JAMAIS LHE ABANDODANARÁ!

Qual "humano desumano"age assim?!

COMO PODEMOS NÃO AMAR MAIS A ELES QUE A QUALQUER OUTRO SER??!!!
A cada dia vemos o quanto há humanos hipócritas e que só pensam em si mesmo, porque a cada dia uma atitude de um ser humano nos decepciona, porque há os que ligam para o que se tem não o que é, porque os humanos estão acabando com seu próprio "habitat" e conseqüentemente prejudicando todas as espécies, tentando visar o seu beneficio mas ignorando que estão prejudicando a si mesmos, porque os humanos não se satisfazem com 'pouco'(é esse pouco que torna um cão feliz), enfim, os humanos fazem coisas que os animais estão longe de fazer, a cada decepção que temos gostamos mais de um cachorro pois vemos que ele é diferente de nós, não liga para o que temos, e sim para o que somos, estão felizes com um simples carinho, amam de verdade, nos fazem mais felizes, nos agradecem todos os dias por cuidarmos deles, estão sempre ao nosso lado quando precisamos.
Os animais são seres que vieram ao mundo para proteger essas pessoas, principalmente os cachorros.
Quantos humanos já pararam para ver o ser que está ali para apoiá-los mesmo que em silencio, quantos já olharam para os seus olhos?
Aposto que poucos, mas falo por aquilo que eu vejo.
Mais fácil um humano pede algo em troca, nos desilude, nos engana e quando lhes dizemos alguma coisa explodem.
Um cachorro, podemos bater-lhe zangar com ele que ele fica abatido mas dali a nada ja esta pronto outra vez para nos ajudar, proteger e nos lamber as mãos, e olhar com aquele olhar de ternura.
Quando mais convivo com o ser humano mais amo os animais! Por que geralmente todo mundo já se decepcionou alguma vez na vida com o ser humano! E com o animal sabemos o que esperar... Mas nunca recebemos traição, ou atos de selvageria!!! Animais matam para sobreviver ou para se defender e defender sua prole... e o ser humano??? Mata por quê?
O ser humano é o bicho mais desumano que existe. Destroi tudo o que vê pela frente. Se nós desaparecêssemos do mundo a natureza agradeceria. "O homem é o lobo do homem"
Isso quer dizer que o homem no estado de natureza é cruel, pois é o homem é próprio inimigo do homem, e a única coisa que impede de o homem ser o inimigo do homem é a sociedade com suas leis. Além dos conflitos civis, guerras, ´´reino contra reino e nação contra nação´´. Catástrofes naturais, apego pelo que é imoral, (dinheiro, fornicação). E aí entra uma analogia interessante, a humanidade caminha para a destruição, aquele que aceita a verdade em Jesus acaba sofrendo perseguição dentro de sua própria casa, pai contra filho, filho contra pai. Humanos que matam uns aos outtros. Isso é fruto de um mundo desvirtuado e que destruiu a família como instituição mais sagrada.
Hoje as famílias se destroem ao menor probleminha; os pais ausentes pela necessidade de trabalho intenso acabam satisfazendo a vontade dos filhos para compensar a ausência e não os educam. Da mesma forma não praticam o amor, o cuidado, a atenção, a união. Nosso histórico não é bom. Desde Caim, passando por todas as guerras, a inquisição católica, o holocausto, as ditaduras militares, a violência física, sexual, verbal ou psicológica, social, política (terrorismo), cultural, doméstica, infantil, conta a mulher, auto-violência (suicídio)...Enfim, somos sadomasoquistas. Segunda a ciência a violência é determinada pela complexa combinação entre fatores externos e características inatas do ser humano. O homem entre 15 e 30 anos é o bicho mais violento que existe, mata 40 vezes mais do que a mulher. Podemos infiltrar Darwin, o segundo maior gênio da humanidade, no meio disso tudo e dizer que é “Uma questão de evolução” os homens tinham que caçar efetivamente, vencer a competição sexual, sobreviver a guerras tribais e etc. Contudo segundo Steven Pinker (especialista contemporâneo no assunto) essa lógica darwinista e a armadilha hobesiana (violência gera violência) não passam de ilusões: “A violência é o resultado quase inevitável da dinâmica dos organismos sociais racionais movidos pelo auto-interesse.”

Ai lembro dos animais e os valorizo ainda mais eles têm alma, sentem dor, têm sentimentos, convivem em harmonia uns com os outros.
acredito que todos os seres vivos comungam do Espírito Divino que a toda a Matéria em forma e vivifica. Após isso creio também que todos ou pelo menos os seres vivos por nós chamados animais possuem um espírito ou alma próprios que os individualiza e faz deles nossos irmãos de caminhada. Todo o drama da Criação não é mais que o drama do aperfeiçoamento continuo da matéria e da sua transmutação em espírito.
Se existir o corpo espiritual, todos os seres vivos possuem espírito, ou seja, alma. Tanto animais como vegetais..Se você ler os livros básicos de Kardec poderá ter uma idéia melhor...por que um dia nos já fomos, animais, ou uma simples bactéria, e evoluímos sempre. Todos os seres foram primeiro criados espiritualmente.Quem tem a faculdade de se projetar, guando fora do corpo, verá também animais projetados, ou o espírito de um cão por ex se ele estiver dormindo o espírito dele flutuando próximo de seu corpo.Mas a Igreja geralmente alega de que animais não possuem alma, para se sentirem menos culpados ao maltratá-los, ou matá-los. Também antigamente a IGREJA dizia que mulheres e silvícolas não tinham alma. Mas hoje isso é escondido.
Se não tivermos espírito-alma então não ha sobrevivência pós morte.
Aquele que maltrata os animais porque os tem em seu poder é tão covarde quanto tirano. A disposição para causar dor, quer seja ao nosso semelhante quer aos seres irracionais, é satânica. Muitos não compreendem que sua crueldade haja de ser conhecida, porque os pobres animais mudos não a podem revelar. Mas, se olhos desses homens pudessem se abrir como os de Balão, veriam um anjo de Deus, em pé, como testemunho, para atestar contra eles no tribunal celestial. Um relatório sobe ao Céu, r aproxima-se o dia em que se pronunciara juízo contra os que maltratam as criaturas de Deus”
O justo olha pela vida dos seus animais, mas os ímpios não tem misericórdias são cruéis.
provérbios 12 versículos 10

Então o senhor o senhor tomarás os tributos dos homens de guerra o que sairá dessa guerra: de cada quinhentas uma alma tanto dos homens como dos seus bois dos jumentos e suas ovelhas...
números 31:28


Reflitam, fiquem com Deus.

domingo, 5 de dezembro de 2010

Una-se ao Planeta em amizade plena.




A destruição da Natureza começa de maneira sutil na Bíblia: "E Deus lhes disse: Enchei a terra e sujeitai-a, e dominai sobre os peixes do mar, e sobre as aves do céu, e sobre todo o animal que se move sobre a terra".Até a "Ciência" foi condicionada por essa visão. A "Ciência" pretende dominar a Natureza. Ao lugar de trabalhar COM a Natureza, a "Ciência" trabalha contra a Natureza, e é isso que faz, por exemplo em medicina, a alopatia! E as pessoas comuns, automaticamente, sem pensar, lutam contra a Natureza, contra a realidade, contra a Obra Divina. O Cristianismo, (tão contrário ao que o Cristo ensinou) depois de assolar as populações da África, das Américas, da Indonésia, da Ásia, continua a destruir o planeta.Como é diferente da visão dos índios, que se consideram os guardiões da Terra! E dos xamãs, acompanhados por animais de poder, vivendo em amizade com a Natureza, fazendo das inteligências da Natureza seus aliados. Se esforçar sem esforço. Fomos treinados a lutar contra nós próprios, em lugar de trabalhar conosco, com o imenso poder que temos. É só agora que estou descobrindo isso. Ao lugar de viver "contra", viver "com". Podemos nos programar para perceber e aprender as coisas de uma maneira mais amorosa, gentil.Mais amorosa, mais gentil, entrar em amizade Conosco e com o Mundo. É importante considerar as técnicas de cura por imagens mentais usadas pelos xamãs no contexto de sua estrutura habitual de crenças sobre a natureza da saúde e da doença. Em primeiro lugar e acima de tudo, evitar a morte não é o objetivo da prática de medicina nas tradições xamânicas. Nossa desconfiança ocidental desses sistemas advém, freqüentemente, da observação de que a cura xamânica pode não ter resultado para prolongar a vida. A cura, para o xamã, é uma questão espiritual. A doença é por ele considerada originária do mundo espiritual e dele adquire seu significado. O propósito da vida, em si, é ser doutrinado e iniciado nas regiões visionárias do espírito e estar de acordo com todas as coisas da terra e do céu. Perder a própria alma é a ocorrência mais grave de todas, por isso eliminaria qualquer significado da vida, agora e para sempre. Assim, o objetivo de boa parte da cura xamânica é, nutrir e preservar a alma, bem como protegê-la de vagar eternamente.A doença, como é concebida até mesmo no sentido moderno, é vista como algo que penetra de fora no corpo, algo que deve ser removido ou destruído ou de que é preciso proteger-se. No sistema xamânico, entretanto, o problema básico não é o elemento externo, mas a perda de poder pessoal que permitiu a invasão, seja de uma flecha, seja de um mau espírito (como na teoria do "dardo envenenado" dos nativos de Papua-Nova Guiné. Entre estes, algumas doenças, embora nem todas, são classificadas como bruxaria e resultantes do arremesso mágico de dardos envenenados, pelo inimigo). Em conseqüência, o tratamento xamânico de todas as enfermidades dá ênfase, em primeiro lugar, ao aumento do poder da pessoa doente, e apenas em segundo lugar se opõe ao poder do agente que produziu a doença.Todas as medicinas, inclusive a ocidental quando disponível, são usadas em ambos os estágios. Na realidade, este pensamento é um tanto avançado, pois as recentes descobertas da ciência médica apóiam tal descrição dos processos da doença. Resumindo, as chamadas causas externas primárias das doenças graves - vírus, bactérias e outros elementos invisíveis no meio ambiente - só constituem ameaça à saúde quando a camada protetora natural de uma pessoa desenvolve uma fraqueza.Nas sociedades tribais em que o xamanismo floresceu, a prática da cura sobrepõe-se a toda vida secular e sagrada, e a ela está integrada - oração, agricultura, casamento, guerra e tabu. Nas tradições xamânicas, como é de esperar, há uma ênfase muito maior nas perturbações do espírito do que na medicina dos países industrializados. O xamã está muito capacitado a fazer diagnóstico diferencial das perturbações espirituais. Algumas vezes, ele pode diagnosticar que a alma está aterrorizada, outras vezes deprimida; e, o que é o pior de tudo, que ela partiu (conhecido como susto, "perda do animal" ou "perda de alma"). Os sintomas físicos e mentais são caracterizados dos diferentes estados e são considerados muito sérios. Sem intervenção, o paciente poderá morrer sem ter resolvido o problema que causou a doença e, assim, ser condenado a viver eternamente fora de sincronia com universo.Qualquer impulso para romantizar a medicina xamânica ou popular, em geral deve ser contrabalançado pelo conhecimento de que, com freqüência, os remédios prescritos eram claramente errados e prejudiciais do ponto de vista do bem-estar físico. Existe certo procedimento de parto pelos costumes, em certas partes da África, que desafiam o curso da natureza. O resultado é uma elevada mortalidade infantil e alta incidência de epilepsia, doença que, como se sabe, está relacionada ao trauma do nascimento. Outras condições da antiga vida tribal, tais como graves doenças debilitantes devidas à alimentação e à água impuras, infestações violentas de parasitas e expectativa de vida limitada eram consideradas condições de vida normais.Nossa avançada tecnologia visando às condições sanitárias e à nutrição reduziram significativamente esses problemas nos países industrializados. Até em culturas que ainda mantêm atividades xamânicas, os recursos de saúde importados parecem ser considerados uma providência de primeira linha contra ferimentos, infecções e doenças endêmicas.Infelizmente, a "civilização" criou novos problemas de saúde no lugar daqueles que melhorou. Por exemplo, na medicina ocidental contemporânea, as passagens naturais da vida são vistas como doenças ligadas a uma deficiência que requer atenção médica. Bebês recém-nascidos, grávidas, mulheres na menopausa e pessoas que simplesmente chegaram à velhice são hospitalizadas e medicadas como se houvesse patologia. Até mesmo casamento e morte exigem o certificado legal da sanção médica. Em nossa sociedade, os ritos de crescimento voltaram-se para o sistema de saúde; assim, a maturação natural e a fruição da condição humana são consideradas doenças que requerem intervenção.Os xamãs são, de modo muito diferente, figuras essenciais nos ritos de passagem de suas respectivas culturas. Sua sabedoria é consultada nos eventos considerados críticos para a vida, tais como dar nome a uma criança, busca da visão ou ritos de puberdade que significam o início da responsabilidade adulta; e cerimônias de nascimento e casamento. Isso é lógico na cultura xamânica, em que o xamã, além de curador, tem o papel de sacerdote que convive intimamente com o sobrenatural.A função de qualquer sistema de saúde de uma sociedade está essencialmente vinculada às convicções filosóficas de seus membros sobre a finalidade da própria vida. Para as culturas xamânicas, essa finalidade é o desenvolvimento espiritual. Saúde é estar em harmonia com a visão de mundo. Saúde é uma percepção do universo e de todos seus habitantes como seres de um único estofo. Saúde é comunicar-se com animais, plantas, estrelas e minerais. É conhecer a morte e a vida, e não ver nelas diferença alguma. É misturar e fundir, procurando o isolamento e o companheirismo para compreender nossas múltiplas identidades.Ao contrário das noções mais "modernas", na sociedade xamânica, saúde não significa sentir nada; nem significa ausência de dor. Saúde é buscar todas as experiências da Criação e vivenciá-las, sentido sua textura e seus múltiplos significados. Saúde é expandir-se para além do próprio estado de consciência para experimentar os sussurros e vibrações do universo.
termo Xamanismo é de origem siberiana, baseado no conceito do saman, que identifica "aquele que não perdeu a integração". O Xamanismo tem a sua origem na pré-história, quando nossos ancestrais decidiram vencer todos os obstáculos impostos no caminho da evolução. Através da integração com o meio ambiente, confiança e determinação descobriram as fórmulas que iriam garantir a sua sobrevivência. Não possuíam ferramentas, armas, nem tecnologia, mais com a necessidade de vencer e sobreviver, criaram técnicas naturais, se organizaram e desenvolveram plenamente seu poder pessoal. Para nós, atualmente é difícil admitir o sucesso destes caçadores neanderthais que enfrentavam tanta adversidade constantemente. Uma das muitas adversidades daquele tempo era o momento da caça, quando grupos pequenos de indivíduos, munidos de bastões de madeira com ponta de pedra afiada enfrentavam mamutes e outros enormes animais pré-históricos. Os guerreiros antigos estavam inteiros; utilizavam todo seu poder pessoal e uma enorme integração com as forças naturais, as quais o xamanismo decodificava e direcionava em prol de sua sobrevivência e sucesso. Antes de caçar, os guerreiros se reuniam em uma caverna, desenhavam no chão o animal que necessitavam caçar, um mamute, por exemplo, dançavam a sua volta e, no momento certo, o líder guerreiro atingia o desenho com sua lança e logo após os outros seguiam a mesma atitude. Recolhiam as lanças, dançavam em torno do desenho e tinham a certeza de que conseguiriam trazer alimentos para suas mulheres e filhos com o mínimo de perdas de companheiros caçadores. Pois, só assim, assegurariam a sobrevivência da tribo e de sua espécie. O Xamanismo possibilitou um maior senso de comunidade, organização e disciplina, além de uma maior autoconfiança, fé e integração ambiental. Também foi responsável pelo surgimento de várias técnicas de cura, estratégias, filosofia e artes. Várias técnicas muito antigas são utilizadas até hoje, algumas adaptadas com nomes diferentes e reconhecidas por comunidades cientificas, outras com características tradicionais milenares reconhecidas popularmente, mais o importante é que essas maravilhosas técnicas naturais ainda estão sendo utilizadas com sucesso total até hoje e, com certeza, serão utilizadas muito futuramente. O Xamanismo é mais abrangente que apenas técnicas, pois também é uma filosofia profunda de vida onde adquirimos o respeito pelo meio ambiente, honramos os nossos ancestrais e o conhecimento adquirido, resgatamos a integração com o meio ambiente, a dignidade e o nosso poder pessoal. Através do respeito por todos e pelo todo e um rigoroso código de ética, os guerreiros da luz têm como missão buscar a paz, saúde, equilíbrio, sucesso e uma compreensão mais ampla sobre tudo. Sabemos que cada um de nós tem a responsabilidade de escrever sua própria história pessoal e nos colocarmos como heróis ou não, construindo, assim, o nosso destino. Através do xamanismo, resgatamos nosso guerreiro que hoje não necessita caçar mamutes mais sim um emprego, alimento para nossa família, educação e saúde. Não podemos esquecer também a necessidade do resgate da anciã e do ancião que existe dentro de cada um de nós e que nos facilita alcançar uma maior maturidade, interiorização, comunicabilidade, sociabilidade, saúde, sensibilidade, altruísmo, inspirações e inúmeras outras possibilidades. O resgate do curumim (criança) é de extrema importância, pois nos livra dos medos, tristezas, estagnações e nos lembra a necessidade de sorrir e brincar, novamente unidos à nossa grande Mãe Terra. Os animais de poder também são pontos importantes no resgate do homem integral. Os movimentos e meditações com eles podem nos ajudar resgatar muito de nosso poder pessoal e possibilitar mais saúde e integração com o todo (ex.: o jaguar nos ajuda com a força, autoconfiança, determinação, habilidade no movimento e equilíbrio; o macaco ou elefante com a alegria, saúde, pureza, integração; a águia, espiritualidade, altruísmo, fraternidade, visão; o cavalo, prosperidade, firmeza, sorte, liberdade, realização.) O Povo de Pedra (reino mineral) são poderosos símbolos da memória integral e do poder de concentração e direcionamento objetivo, além de serem responsáveis por várias técnicas de harmonização integral. O Povo em Pé (reino vegetal) também são de fundamental importância no treinamento xamânico, pois nos ajudam conhecer o poder de harmonização e de integração, através de aliados deste reino, além de nos ajudar a resgatar o equilíbrio com a energia da mãe terra (telúrica) e do pai céu (energia cósmica), facilitando-nos equilibrar essas duas formas poderosas de energia. No Xamanismo, também damos grande importância aos elementos fogo - água - terra e ar, os quais são de grande valor tanto na manutenção do equilíbrio em nosso corpo quanto em nosso meio ambiente. Esses elementos, quando em desarmonia, são indicadores de desequilíbrios e quando estão em harmonia indicam facilidades em nossa vida, saúde e realizações. No Xamanismo, percebemos que somos uma semente, um micro-universo de possibilidades, nos preparando para nos tornar uma bela árvore (macro-universo ). Temos uma GRANDE certeza - que o potencial da árvore existe na semente.
A terra não pertence ao homem, o homem é que pertence à terra. O que fere a terra, fere também os filhos da terra.Quando o Grande Espírito Criador criou o grande mistério, dentro dele deu origem à Mãe-Terra e a ela deu filhos. Quando a Grande Mãe teve seus filhos, não havia diferença entre os homens e animais, árvores, pedras, rios, montanhas, água, vento ou terra. Todos éramos um só e compartilhávamos dos mesmos conhecimentos. Um podia se tomar o outro e saber como o outro pensava e agia. Todos éramos irmãos, sábios e dotados de grande poder de cura. Podíamos ir até as estrelas num piscar de olhos, e nos juntar ao Grande Espírito que nos dava seus ensinamentos e nos contava histórias sobre o Grande Mistério.Ao descer, nós nos reuníamos em volta da grande fogueira do irmão fogo e lá trocávamos ensinamentos e nos harmonizávamos com os Grandes Espíritos das Quatro Direções agradas, e, no decorrer do grande manto da noite, nosso Pai Céu nos dava abrigo e nos cobria com seu grande manto de estrelas. A Mãe Terra nos dava calor e nos aquecia com a sua energia feminina, dentro de nós pulsavam então as energias masculinas e femininas harmonicamente, como em uma grande canção sagrada que o nosso coração cantava. Recebíamos amor do Grande Avô Sol e da Grande Avó Lua.Mas, hoje irmão, a Grande Mãe Terra e o Grande Espírito, o Grande Pai, nossos irmãos, avós e espíritos guardiões estão tristes porque um de seus filhos se perdeu, se afastou de sua família e do grande mistério.O filho homem se esqueceu de seus irmãos, pais, avós e companheiros guardiões e do Grande Espírito e, principalmente, de sua origem. Mas, nós, homens sábios de todas as nações, juntos, numa grande assembléia, podemos resgatar essa gama de conhecimento, voltar a dançar em volta do Grande Fogo, cantar com os quatro ventos, nos juntar aos Grandes Guardiões das Quatro Direções Sagradas, voltar para o colo de nossa mãe e resgatar a grande medicina sagrada.Nós nos esquecemos de que temos esse conhecimento, o qual está apenas adormecido no coração dos homens. Para resgatá-lo, basta olhar e mergulhar dentro de si, reencontrar o Grande Mistério e falar com o Grande Espírito, que nos espera com nossos pais, avós, irmãos para trocarmos ensinamentos, histórias e canções.Voltar a aprender com o Grande Espírito e juntos ouvir o nosso coração sagrado bater como uma grande canção de tambor em uma só batida.
A vida é como uma espiral e não como uma linha reta. Passado e futuro se encontram em um infinito presente". A espiral é a essência do mistério da vida. Assim como se centra, ela também pára, se encontra, se retorce e, então, desce e sobe novamente em graciosas curvas. O tempo se retorce em torno de si mesmo, trazendo os ecos e vibrações enquanto que os caminhos vivos da espiral passam próximos um do outro. A vida corre por estradas sinuosas, os seres se encontram em determinados pontos de suas caminhadas, se entrelaçam, se afastam, partem, retornam às origens. O ponto de partida também é o ponto de chegada trazendo-nos a questão do retornar sempre, reencontrar-se e se renovar. As espirais também circulam dentro de nós, a energia circula em espiral, é onde a matéria e o espírito mais perfeitamente se encontram, e o tempo, por ele mesmo, não existe. Os nativos lembram as diversidades da vida e dos caminhos, e não compreendem o mundo de forma linear, o seguir em frente em uma única direção como se a vida fosse uma linha reta traçada entre um ponto de início e um de término. O destino é sempre ir além. O grande desafio de todo ser, por natureza um guerreiro trilhando as estradas das espirais da vida, é essa busca, é o retorno, é a partida, é caminhar em círculos/ciclos assim como caminha a natureza, pois somos parte dela. É fazer girar a roda do tempo, não nos prendendo em nenhum ponto em específico porque, assim, podemos vislumbrar os mais diversos pontos que compõem a espiral. Sobre as formas espiraladas e circulares, Alce Negro, dos Oglala Sioux coloca o seguinte: "Tudo que o poder do mundo faz é feito em círculo. O ceú é redondo e tenho ouvido que a terra é redonda como uma bola, e assim também o são as estrelas. O vento, em sua força máxima, rodopia. Os pássaros fazem seus ninhos em círculos, pois a religião deles é a mesma que a nossa. O sol nasce e desaparece em círculo em sua sucessão, e sempre retornam outra vez ao ponto de partida. A vida do homem é um círculo, que vai da infância até a infância, e assim acontece com tudo que é movido pela força. Nossas tendas eram redondas como os ninhos das aves, e sempre eram dispostas em círculo, o aro da nação, o ninho de muitos ninhos, onde o Grande Espírito quis que nós chocássemos nossos filhos". Para os antigos celtas essa é toda a essência do mistério da vida. O circular, o espiralado. O tempo, uma das triplas linhas tão importantes para o imaginário celta, se retorce em torno de si mesmo. Os astecas achavam que certas flores que tinham em seu centro espirais, eram a alegria do mundo, mostrando o ciclo do sol, quando nasce e se põe, as estações, solstícios, ciclos assim como a vida dos homens. Os orientais falam da kundalini, do fluxo de uma energia em espiral, dos redemoinhos energéticos que perambulam nossos corpos. Como vórtex de energia, as espirais encontradas em vestígios antigos expressavam um entendimento do cosmos, da energia vibrante, da vida, ou o seu contrário. Tradicionalmente, os ancestrais compreenderam que espirais no sentido horário representavam o nascer, o sol, a vida, o mundo de cima, a transformação pelas experiências exteriores. Para o sentido anti-horário, representavam a lua, a morte, o outro mundo, o mundo de baixo, o mundo dos sonhos e alucinações, intuição, as experiências transformadoras vindas do nosso interior. Para os hindus, o que no nosso mundo terrestre era no sentido anti-horário, para a esquerda, no mundo de baixo, no outro mundo, correspondia ao sentido horário. Hoje sabe-se que esses simbolismos expressam as funções cerebrais, o lado esquerdo do cérebro regula o lado direito de nosso corpo, o lado direito regula o lado esquerdo do corpo. Nem bom, nem mal, apenas diversidades que compõe o universo, uma perfeita simbiose, uma perfeita composição de energias. Se vermos vários locais sagrados dos antepassados, desde o paleolítico, em qualquer parte do mundo, notaremos sempre a compreensão circular e espiralada. A espiral é a energia vital, é a energia em movimento, é a própria jornada. Vida está na Natureza, e natureza é humana em todos os sentidos porque somos todos um só elemento, nada sobrevive por si só, todos precisamos dos 4 elementos. Agua, Ar, Terra, Fogo.
Repeitar todos os seres vivos, Não são os animais ,que invadem nossos espaços, nós é quem invadimos os deles. Lei da sobrevivência dos mais fortes. O Ser humano não é o mais forte porém é o mais covarde de todos.
Plante uma arvore, uma não dezenas delas.

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

As alterações no ambiente provocadas pela ação do homem




O grau de interferência do homem é tão grande, que provoca um desiquilíbrio profundo na biosfera, com consequências para a própria humanidade,provocando grande diminuição de reservas naturais, vegetais, animais...Existe uma relação direta entre o aumento da população humana e o número de espécies extintas, por duas causas fundamentais:
-destruição direta - provocada pela caça intensa, como desporto ou para conseguir carne, couro;
destruição indireta - provocada pela alteração do habitat de muitas espécies através da destruição de florestas e de campos e do crescimento das cidades.
A natureza vem sendo transformada pelo homem que destrói e contribui na maioria das vezes com a extinção de espécieis animais e vegetais existentes no planeta, também colabora através de práticas inconseqüentes para a poluição do ar, do solo e principalmente da água.
Nossa saúde está integrada ao meio ambiente, por isso se este estiver sendo negligenciado, pense, que com ele está sendo destruída principalmente a vida que inclui, o nosso bem estar e o de todos os seres vivos, conseqüentemente, o futuro deste planeta. Há milhares de anos o homem vem degradando a natureza, passo a passo, através de agressões como: as queimadas, as derrubadas de florestas, o desenvolvimento industrial que se tornou o principal responsável pela degradação da natureza e do meio ambiente. As indústrias lançam poluentes como, por exemplo, o enxofre gerando a chuva ácida que causa danos às plantações, as florestas, ao homem através de alimentos envenenados. A chuva ácida produz um gás capaz de subir muito alto na atmosfera impedindo a renovação da camada de ozônio, que retém os raios ultravioletas do sol. A destruição desta camada proporciona a elevação da temperatura ambiente da Terra, derretendo as geleiras e aumentando o nível das marés. Nas indústrias, também, se produz um veneno chamado "DDT". É um produto químico que tem a capacidade de matar os insetos que atacam as lavouras, mas também mata os insetos não prejudiciais, e como não é biodegradável, isto é, capaz de ser decomposto pela ação de organismos vivos, também, penetra nos alimentos causando doenças aos homens. Os combustíveis queimados pelas indústrias e pelos transportes automotores produzem um gás chamado “CO2” que é renovado pelas plantas e pelos oceanos. Como o homem destrói florestas inteiras fazendo queimadas para fazer pastagens, utiliza a madeira para construção civil ou ainda, derruba árvores para utilizar a madeira em confecção de móveis e ou para fazer carvão e etc., as plantas não conseguem absorver este gás, por isso é muito comum nos grandes centros urbanos, pessoas sentirem tonturas, enjôos, olhos lacrimejando e ardendo, devido à ação poluente dos gases.
Todo poluente solúvel, isto é, substância solúvel que, se liberada, causa danos ao meio ambiente, lançado no solo e no ar tem o seu destino final nos rios, lagos e mares e águas subterrâneas, esta poluição vem causando problemas gravíssimos em nosso ecossistema que vem a ser o conjunto dos seres vivos e do seu meio ambiente físico, incluindo as relações entre si. Apesar de o homem ser parte integrante da natureza, ele a destrói. Por quê? Esta é uma pergunta que deverá ser respondida antes que as próximas gerações venham sofrer conseqüências dramáticas causadas pelas ações mal planejadas do homem. Existem muitos exemplos de poluição e degradação da natureza e garanto-lhes que por detrás de todos, o homem está presente. A preocupação com o meio ambiente deve fazer parte da vida de cada cidadão, e dos governantes. Todos devem tornar as cidades em que vivemos um lugar prazeroso e saudável. O tratamento de esgoto, a fiscalização das indústrias, a criação de parques e praças com muito verde, a fiscalização das áreas de preservação ambiental são algumas das atribuições que os governantes e cidadãos têm por obrigação zelar. Devemos contribuir para diminuir a poluição fazendo a nossa parte: separando o lixo para ser reciclado, não sujando as ruas e lugares públicos, não jogando lixo nas encostas e rios, economizando água e luz, evitando usar garrafas pet, etc. Para cada problema existe uma solução possível, o ideal é evitar que os problemas aconteçam. É melhor agirmos com precaução em todas as nossas ações. Assim o céu ficará mais azul e as cidades serão lugares agradáveis de morar. Devemos nos conscientizar de que fazemos parte da natureza assim, quando a desrespeitamos estamos nos desrespeitando também. Pesquisadores do Reino Unido declararam que o mundo pode ficar até 4 °C mais quente até 2060. Isso devastaria a floresta amazônica e acabaria com os ciclos das monções. Agora a Royal Society publicou um estudo detalhando como o mundo ficaria com esse aumento de temperatura. As secas, como se pode imaginar, seriam muito mais freqüentes. A questão da água é um grande problema. Como a população irá crescer já teremos disputas sobre as reservas de água naturalmente. Mas se, além disso, a temperatura aumentar, as secas tornarão a situação ainda mais crítica. A África subsaariana irá ter uma menor produção agrícola. Graças às secas e às mudanças climáticas, a produção de grãos na região irá cair 47% – e levando em conta que os habitantes da região já passam fome com os níveis de produção atual, esse índice é muito alarmante. O clima diferente, o aumento dos níveis de água do mar e a falta de água potável irão fazer com que muitas pessoas precisem migrar. No entanto, os mais pobres não teriam condições e precisariam se adaptar a condições extremas.
Então devemos nos conscientizar de nossas ações e, principalmente, cobrar ações mais ecológicas de políticos e empresários. Por mais pequena que uma atitude possa parecer agora, tendo em vista esse futuro assustador, ela, com certeza, irá fazer a diferença.
A idéia é reduzir as emissões de carbono.

MUITO MAIS QUE KYOTO

O drama aumenta de proporção quando se lembra que o famigerado Protocolo de Kyoto, já tão criticado – e desrespeitado – pelos Estados Unidos, pede uma redução de somente 5,2% nas emissões em relação aos níveis de 1990. E que, de lá para cá, elas cresceram em todo o mundo mais de 25%. Em sua maioria, esse número está associado ao crescimento econômico de países como Estados Unidos, China e Japão – daí a relutância em diminuí-lo. Os especialistas fazem questão de frisar que ninguém está incentivando uma recessão econômica, mas pedem um pouco de boa vontade e mudanças nos modelos produtivos e nos hábitos de consumo. "As tecnologias já existem, estão todas aí, mas ainda não são empregadas em larga escala. Só é preciso um pouco de investimento para barateá-las e ampliá-las", afirma o físico Luiz Gylvan Meira Filho, da USP, um dos pesquisadores que ajudaram a escrever o Protocolo de Kyoto. Já foi até previsto o custo total para fazer as modificações necessárias: menos de 3% do PIB mundial precisa ser investido até 2030 para evitar os piores efeitos das mudanças climáticas. A receita básica se baseia em fontes alternativas de energia – ou pelo menos na busca por maior eficiência energética nas fontes já utilizadas – e em um consumo mais consciente, visto que cerca de 85% da energia consumida em todo o mundo é gerada com queima de petróleo, carvão e gás natural. Além, é claro, da conservação de florestas. O desmatamento corresponde a cerca de 17% das emissões de gases-estufa.
Mudar não é mais uma opção, mas a única saída para proteger o planeta – não somente para as futuras gerações, como se pensava há alguns anos, mas para nós mesmos. É hora de emplacar de fato o estilo super-herói, só que salvar o mundo vai muito além da atitude de sair plantando árvores por aí. A mensagem é simples. Cabe a todo mundo fazer sua parte – governos, empresas e sociedade civil. Se aos primeiros cabe aceitar metas de redução, regulamentar os setores e incentivar com tributos as mudanças necessárias, ao setor produtivo cabe pôr isso tudo em ação, otimizar processos produtivos, investir em tecnologias mais econômicas, trocando as matrizes, reduzindo desperdícios etc. Aos cidadãos vale a velha fábula da andorinha. Se uma não faz verão, todas juntas... Isso sem falar no poder de cada um de cobrar uma atitude proativa de seus governantes.

domingo, 28 de novembro de 2010

O futuro está oculto atras dos homens que os fazem


Toda rota que conduz à luz é válida no plano espiritual é isso que conta. O equilíbrio espiritual e a necessidade de se sentir em harmonia com o Cosmo é uma mudança essencial na direção do bem-estar psíquico e espiritual dos indivíduos e do mundo. Este princípio de intercomunicação entre todas as coisas, numa dimensão ecológica nos remete a uma profunda preocupação com a sobrevivência da Terra e do meio ambiente. Estas preocupações são em relação não somente com a crença numa guerra nuclear, mas também com os danos mais imediatos ao meio ambiente, aos dejetos nucleares, à poluição da terra, da água, do ar, à destruição das florestas, dos animais e da camada de ozônio. Estes cuidados apresentam um caráter de urgência. É preciso uma redução de poluentes população deve aderir a hábitos de sustentabilidade em um meio eficaz de colocar um fim a tais perigos e a modificar o curso do desenvolvimento humano na direção de uma supervida. Uma mudança real nas atitudes pode ser obtida por um trabalho místico estendido a toda população do globo, sendo possível criar um mundo novo e melhor.

2012 não é o fim do mundo, mais sim o fim, do mundo como o conhecemos.

Pesquisador americano recolheu mais de setecentas profecias que indicam a vinda de trinta messias de diferentes religiões, para salvar o mundo da catástrofe neste século 21. Muitas tradições proféticas nativas no mundo inteiro partilham a visão de que os campos de energia física e psíquica do mundo estão aumentando em um terço a sua intensidade no século que começa. Essas tradições argumentam que a faixa de energia da Terra começou a crescer entre 1983 e 1991 e vai atingir a sua maior vibração por volta de 2012.
Sem dúvida, é notável a coincidência entre as datas previstas pelos místicos com as previstas pelos ecologistas; estes últimos, em grande parte, esperam que os piores efeitos do aquecimento global e o início da queda da produção de petróleo comecem a se manifestar entre 2010 e 2020. Ainda mais porque 2012 é o ano em que se encerra a vigência do Protocolo de Quioto(O Protocolo de Quioto é consequência de uma série de eventos desde meados da década de 1980 se discutem mudanças climáticas globais na esfera internacional constitui-se no protocolo de um tratado internacional com compromissos mais rígidos para a redução da emissão dos gases que agravam o efeito estufa discutido e negociado em Quioto no Japão) Nada está previsto para 2012 para o combate à poluição. O Protocolo prevê para até 2012 a redução de 5,2 por cento, em comparação com os níveis de 1990, da emissão por dezenas de países industrializados de gases poluentes que provocam o aquecimento global. Depois, nada está previsto, embora os cientistas, em sua maioria, julguem que seria necessária uma redução de 60 a 80 por cento até 2050. Aliás, a União Européia já avisou que não adotará nenhuma redução da emissão de poluentes depois de 2012 enquanto os Estados Unidos não participarem do processo.
Em pesquisas sobre dezenas de religiões diferentes, descobriu se que não só cristãos estão esperando a volta do messias para estes começos do Terceiro Milênio - mas crentes de dezenas de outras fés estão esperando o que seria o Apocalipse para os próximos anos.

O ALINHAMENTO GALÁCTICO DE 2012

No solstício de dezembro/2012 a Terra estará perfeitamente alinhada ao Sol e ao Centro da Via Láctea. Este alinhamento ocorrerá na Constelação de Ophiúchus.
Teremos também o ciclo completo da Precessão dos equinócios do Planeta.
No céu dois grandes alinhamentos formarão uma estrela de oito pontas. Ela representa o alinhamento no espaço e no tempo entre o que há em cima e embaixo.
O movimento de Precessão é um fator muito interessante, ele é o movimento circular do eixo do Planeta que é influenciável por forças externas como a gravidade do Sol.
A rotação da Terra gira levemente inclinada, onde forma um movimento cônico em torno se seu ponto central. Este movimento coloca a Terra em relação à esfera celeste, apontando o eixo norte para estrelas diferentes no transcorrer do tempo, este é reconhecido como precessão dos equinócios, onde o dia e a noite tem a mesma duração.
A precessão do Eixo da Terra tem um ciclo completo de 360º e demora cerca de 26.000 mil anos para se completar. Em outras palavras o que é o Pólo Sul hoje já foi o Norte. O Planeta Terra não tem uma forma perfeitamente arredondada, mas levemente achatada em seus pólos e mais larga no equador, que possui o diâmetro cerca de 40 km maior que a polar. Esse detalhe faz com que a forças gravitacionais haja com maior intensidade, criando a tendência de achatá-la mais e juntamente endireitar a posição de seu eixo, deixando alinhado com o eixo da eclíptica. Mas é claro que muitas outras forças influenciam para esta mudança de Pólos, não somente esta ligada por toda a energia emitida do Centro da Galáxia ou com o fato da Transição Planetária. É tudo um conjunto de acontecimentos, um efeito dominó. Tem haver sim com o Pulsar Galáctico que dá a partida para todo o reajuste do Universo em si, alinhando os planetas e estruturando eles energeticamente para uma nova fase, para nós é a Transição que o Sistema Solar esta passando que mais nos foca, pois nele existem comportamentos que afetam diretamente no funcionamento do Eixo da Terra, logo em nossas vidas. Umas das influencias mais próximas seria a do Sol, que nos últimos anos tem passado por algumas reações um tanto espantosas em suas atividades, sofrendo alterações em suas manchas e aumento nas quantidades de ventos. Esses movimentos todos promovem efeitos no Campo Magnético da Terra que busca se adaptar e alinhar seu eixo magnético com o do Sol, isso pode causar grandes acontecimentos de tamanhos prejudiciais para nossa sociedade. Imagine só a mudança que poderia ocorrer se a Terra mudasse sua inclinação do eixo em um curto espaço de tempo. Seria a mesma coisa de estarmos andando rapidamente com uma bacia de água nas mãos e repentinamente parássemos. A água iria se espalhar para muitas direções, ocupando espaço que antes não tinha água. Segundo previsões isto poderia ocorrer até o ano de 2012. Agora a pergunta, porque essas informações não estão sendo abordadas na mídia geral para conhecimento da população? Se nossa ciência e astronomia já tem dados e observações suficientes para provar? Bem, isso é até simples de se imaginar. Pensem no pânico que uma noticia destas poderia causar nas pessoas, um descontrole estaria liberado. Milhares de pessoas iriam querem se mudar de cidade imediatamente, causando um desequilíbrio no sistema urbano que muito provavelmente não teriam recursos para receber tantos indivíduos de uma vez. Além de outros detalhes comportamentais que muitos poderiam ter, querendo aproveitar o momento para praticarem aquilo que normalmente não fariam. Seria um desastre, talvez maior, do que manter o silêncio e fingir que nada acontece. As evidências estão ai para quem quiser ver